Hepatite

Evolução

tamanho:
COMO A DOENÇA EVOLUI?

Desde o contágio, o progresso do vírus dentro do organismo é, geralmente, lento e dá-se ao longo de vários anos, até décadas. A média entre o contágio e a cirrose (estádio do fígado onde os danos já são permanentes) varia entre 20 e 30 anos.

Os estádios do fígado são mensurados assim:

F1 – Fibrose inicial

F2 – Fibrose intermediária

F3 – Fibrose avançada

F4 – Fibrose Hepática

O QUE É A FIBROSE HEPÁTICA?


O fígado, com o ataque contínuo do vírus, vai “descamando”. Porém, ele é um órgão com capacidade de regenerar-se e voltar a ser o que era.

A cada sequência de anos de ataque, o fígado apresenta um estádio. Isto é o resultado de várias “descamações”, que deixam cicatrizes como conseqüência. Os estádios são F1, F2 e F3.

Após uma série de décadas de ataque o fígado pode chegar a um ponto em que suas cicatrizes são tão fortes que não é mais possível regenerar-se. Este estádio é conhecido como Fibrose ou Cirrose Hepática.

EU TENHO CIRROSE. E AGORA?

A cirrose não é uma sentença de morte. Muitas pessoas convivem normalmente por anos, por décadas, por toda a vida com o que se chama “Cirrose compensada”.

A cirrose tem estádios. Ela pode ser inicial, compensada, onde o fígado realiza a maioria de suas funções normalmente – estádio chamado Child A.

A DESCOMPENSAÇÃO DA CIRROSE

O fígado, quando em estádio avançado de cirrose, começa a ficar mais mole, desmanchando-se e já não consegue produzir muitas das substâncias que são fundamentais para a digestão e filtragem do sangue.

SINTOMAS DA DESCOMPENSAÇÃO DO FÍGADO E SUAS COMPLICAÇÕES

Os primeiros sintomas que costumam aparecer são:

1-Vermelhidão nas mãos, pés e pernas;

2-Olhos amarelados.

Fase mais avançada:

1- Ascite (concentração de líquido no abdômen);

2- Icterícia (pele e olhos amarelados);

3- Confusão mental (encefalopatia).

Quando estes sintomas estão presentes, o caso geralmente é grave e requer o transplante de fígado.


Add this page to your favorite Social Bookmarking websites